A união entre a Medicina Veterinária e as Ciências Forenses

A Medicina Veterinária Forense é uma das áreas de atuação das Ciências Forenses que está em pleno crescimento, presente em muitos dos processos de persecução penal. O papel do perito, nestes casos, consiste em auxiliar a Justiça na investigação de crimes que envolvam animais a partir da coleta e análise de vestígios.

De forma imparcial, o profissional elabora laudos que podem ser utilizados como provas durante os procedimentos judiciais. Estes documentos são estruturados a partir de Ciências como a Traumatologia e a Tanatologia, por meio da realização de exames clínicos, diagnósticos por imagem, autópsias, necropsia e toxicologia forenses e visitas ao local do delito. Esse conjunto de informações permite identificar e analisar doenças e lesões em animais com suspeitas de envolvimento criminal.

Aos peritos, também cabe a tarefa de contribuir com a resolução de crimes envolvendo tráfico de animais, que podem resultar em um alto risco sanitário, amplificando ainda mais o problema. E, ainda, esclarecer casos suspeitos de maus tratos a animais, aplicando o Protocolo de Perícia em Bem-estar Animal (PPBEA). Este documento se baseia no conceito das Cinco Liberdades do Bem-estar Animal, criado pelo professor John Webster: livre de fome, sede e subnutrição; de desconforto; de dor, doenças e ferimentos; livre para expressar seu comportamento natural e livre de medo e estresse. São parâmetros adequados para a aplicação em campo, pois determinam o grau de bem-estar dos animais de forma não invasiva.

Com amplo campo de atuação profissional, a Medicina Veterinária Forense estará em pauta na InterForensics 2021. As inscrições estão abertas, faça já a sua aqui.