Banco de Dados Balísticos: ferramenta vital para a segurança pública no Brasil

Na noite desta quinta-feira (03/09), foi realizada mais uma Forensics Live, novidade na comunicação da InterForensics 2021. O convidado de Hélio Buchmüller, Coordenador Geral da 3ª edição do evento, foi o Coordenador da Conferência de Balística da IF2021 e chefe do Setor de Perícias Balísticas do Instituto Nacional de Criminalística da Polícia Federal, Lehi Sudy, que conversou, entre tantos temas, sobre a implementação do Banco de Dados Balísticos no país.

Durante o bate-papo, Buchmüller e Sudy concordaram que a efetivação de um banco de dados balísticos é uma ferramenta vital para a segurança pública no Brasil. Comprovam essa informação os dados divulgados recentemente pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública e o Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada). O documento mostrou que em 1980, 40% dos homicídios ocorridos no Brasil foram realizados com arma de fogo, passando para 71% em 2018.

O Perito Criminal Federal Lehi Sudy é um profundo conhecedor do tema: é bacharel e mestrando em física e está concluindo o doutorado intitulado “Banco de Dados Balísticos”. Ele adiantou que a nova Conferência inserida na programação da IF2021 terá como objetivo fortalecer o Banco de Dados Balísticos e criar conexões importantes com outras trilhas do evento. “Trata-se de um grande espaço para a comunidade pericial e para a comunidade acadêmica apresentarem seus trabalhos e seus casos interessantes. Se por um lado temos tantos dados tristes, como os divulgados pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, por outro temos centenas de casos cuja investigação balística foi crucial para a solução de crimes”, complementou Lehi Sudy.